Make your own free website on Tripod.com

Do Neolítico a freguesia

A presença humana na área actualmente ocupada pela freguesia das Colmeias remonta, pelo menos, ao período Neolítico. Esta conclusão, tirada de alguns levantamentos arqueológicos, é provada por vários objectos descobertos: lascas de sílex, fragmentos cerâmicos, machados de pedra polida e uma ponta de furador. Para além da Idade da Pedra, também as do Cobre, Bronze e Ferro registam descobertas de testemunhos físicos da presença do Homem na referida região. Desde o séc. XII, inúmeras referências arqueológicas e escritas são assinaladas, destacando-se as da Idade Média. Várias sepulturas cavadas na rocha e uma lagariça onde se pisavam uvas e se depositava o mosto (posterior ao séc. XIII) são alguns exemplos desses registos antepassados em Colmeias e arredores.

Séc. XII no berço da freguesia

O nascimento da freguesia de Colmeias terá ocorrido em meados do séc. XII, apesar de não ser oficial qualquer data precisa. De facto, em 1189, já existia uma granja do Mosteiro de Santa Cruz (Coimbra) e, em 1211, há registos de que Colmeias era uma das cinco freguesias existentes na região Norte de Leiria. Nessa altura, a área da freguesia englobava paróquias entretanto separadas, como Caranguejeira, Bidoeira, Memória, Vermoil, S. Simão de Litém, Carnide, Albergaria dos Doze, Marinhas, Matas, Espite e fracções da Boa Vista, Milagres e Cercal. Também as paróquias de Coimbrão, Souto da Carpalhosa, Monte Redondo e Bajouca poderão ter pertencido à freguesia, de acordo com um documento medieval, que relaciona a Igreja de S. Salvador do Souto ao «termo de Colmeias», ainda por oficializar.

In Revista Colmeias, Noticias de Leiria, edição 208, de 20 de Junho de 2003

Concelho de Leiria

Questions or Comments Please E-mail: Webmaster
Copyright © 2000 Albri Software Designer. All rights reserved.